quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

AJUDA PARA RETIRAR A FRALDA


Uso do banheiro

Desfraldar pode ser um dos momentos mais surpreendentes do desenvolvimento dos nossos filhos. Alguns surpreendem positivamente e a coisa flui numa tranquilidade, mas em outros casos muitos contratempos podem acontecer.Com o Pedro foi a base de muitas lágrimas, de ambos os lados até descobrirmos uma maneira que funcionásse.
Primeiro nós optamos por colocar o Pedro no banheiro de 20 em 20 minutos, mas não tivemos sucesso de nem uma única gota de xixi no vaso e assim não conseguimos premiá-lo e como o comportamento esperado não acontecia, não havia maneira de explicar a ele que era aquilo que nós esperávamos dele.
Comprei bonecos q fazem xixi, o boneco fazia xixi no vaso e daí eu dizia ao Pedro que era a vez dele, e nada ..... ele até fazia o boneco fazer o xixi, mas o dele não vinha.
Então decidimos sentar o Pedro no vaso, dando muita água até q ele fizesse o xixi, nota que eu trocava a cueca de constantemente pq sempre estava molhada, então, seguindo a lógica, se ele ficasse tempo suficiente sentado no vaso, o tal xixi viria naturalmente. Ledo engano, foram horas tomando água, lágrimas de ambos os lados até que eu desisti e deixei ele sair do vaso e a porta do banheiro ele fez TODO o xixi do mundo.
Atonita, eu já não sabia mais o que fazer, eu já estava na terceira semana de tentativas por um xixi no vaso e nada, o Pedro tinha 24 cuecas e eu tinha q lavar no meio do dia porque senão faltava cueca limpa.
Então veio uma outra idéia, ao invés de premiá-lo pelo xixi no vaso, resolvi valorizar as cuecas secas e limpas assim deixaríamos nosso campo de batalha, o vaso sanitário, num segundo plano.
Foi simples, só requereu um pouco de paciência, mas acho que assim fica mais fácil da crinaça pegar a idéia.
Nós levavamos o Pedro de 20 em 20 minutos ao banheiro e cada vez q ele estava seco nós premiávamos com elogios (sempre) "você esté limpo e seco, que bom, viva!" o elogio social sempre deve acompanhar qualquer outro prêmio e quanto mais especifica for a linguagem, melhor, dizer um "muito bem!" não ressalta: muito bem o quê? Então é melhor usar um "Viva, você está seco! Ou qualquer coisa do tipo que ressalte o que você está elogiando. No começo há a necessidade do uso de um reforçoo tangível, que no caso do Pedro era um vídeo de alfabeto na linguagem dos sinais eu coloquei um dvd portátil no banheiro e ele só tinha acesso a esse prêmio dentro do banheiro quando eu checava se ele estava seco.
Se ele fazia xixi nas calcas teria q esperar molhado até a próxima checada para eu trocá-lo, como era de 20 em 20 minutos, ele nunca passaria mais de 20 minutos molhado, por isso não é o fim do mundo, e quando ele estava molhado, eu sentava ele no vaso e trocava a roupa dele, mas ele não ganhava o prêmio. Depois de 3 dias nessa tática nos conseguimos os primeiros xixis expontaneos no vaso, aí ele ganhava um pedacinho de bolacha (pelo xixi) e o video (por estar seco) além de muitos beijos e elogios.
Então comecei a espassar as checadas para cada 30 minutos e assim aumentando. Ficamos um bom tempo de hora em hora e depois mais uns meses de 2 em 2 horas. Quando ele já se mantinha seco a maior parte dos dias, colocamos o xixi na rotina, então ele sabia que teria aqueles horários para ir ao banheiro. Nós começamos o treino do banheiro em junho de 2007.
O cocô foi outra novela, ele tinha um local de preferência para o cocô que era no jardim, quando mudamos de casa ele passou a fazer olhando pela janela ou brincando com alguns brinquedos específicos, quando notei isso, fiz um livrinho baseado nas histórias sociais para ajudá-lo a entender que o cocô não era naqueles locais, mas no banheiro. Foram algumas tentativas de histórias sociais. Também aliei o incômodo do cocô na cueca, fazendo esse incômodo ainda mais incômodo. Qunado ele fazia cocô no andar de baixo, trocava ele no banheiro de cima, fazendo ele andar com o cocô pesando na cueca, quando ele fazia no andar de cima, a troca era feita no banheiro de baixo. Assim, antes nós carregávamos ele ao banheiro para a troca, com o aumento do incômodo, aumentou também a motivação pelo uso do vaso sanitário para fazer cocô.
Foram alguns anos de inconstância do uso do banheiro, de sair com trocas de roupas, de ficar de olho, em 2010 conseguimos a normalidade nessa questão, inclusive o desfraldar noturno.


Já com o Luís a questão foi outra, ele tinha fobia de banheiro, de sentar no vaso, do barulho da descarga .... comecei sentando ele de roupa no meu colo no vaso sanitário, brincávamos lá, depois foi a vez dele sentar no vaso, com roupa mesmo, por 1 segundo, 5 segundos, 10 segundos .... depois só de fralda, também na contagem, depois nú ..... e daí conseguimos o desfralde.
Dar a descarga veio bem depois, só quando o uso do banheiro estava constante, outra questão que tivemos com o Luís foi a recusa de usar o banheiro fora de casa e daí eu tive que fazer o mesmo nos banheiros de loja, sentar ele no meu colo com roupa, sem roupa e finalmente ele sentar, nessa época eu ia à lojas só para treinar o banheiro, todos os dias.

Um comentário :

  1. Meus queridos amigos,

    Meus companheiros bloqueiros, que nos trazem tantas coisas
    lindas, importantes, cada um tendo a finalidade de dividir o seu
    conhecimento com todos os amigos, que estão presentes e
    aqueles que nos visitam.
    Desejo que o ano de 2012, venha repleto de Paz, Saúde e
    Amor, e tb que tenham mais prosperidade e reconhecimento,
    os quais são merecedores.
    Obrigada por compartilharem comigo, coisas belíssimas.
    E que Deus os abençõe hoje e sempre

    FELIZ 2012

    Meu afeto

    Analu

    ResponderExcluir

Todo comentário é bem vindo! minha intenção é passar toda minha experiência e trajetória vividas com nosso filho autista! Qualquer dúvida estamos a disposição para poder ajudar!
Renata e Alexandre