quinta-feira, 31 de maio de 2012

Autismo x Vacinas

Famosa pesquisa do Dr. Wakefield

Toda vez que se tenta argumentar sobre a relacão sobre as vacinas e o autismo, quem já leu a respeito sempre cita o famoso caso da pesquisa realizada pelo médico gastroenterologista inglês Dr. Wakefield.


Digamos que não são poucos os casos no mundo de crianças totalmente saudáveis, de diferentes idades, que se tornaram incapazes da noite para o dia após receberem a vacina tetravalente – em inglês chamada de MMR - a que é dada inicialmente aos bebês aos 13 meses contra sarampo, caxumba e rubeola, e repetida entre os 3 aos 5 anos de idade.


12 crianças inglesas tiveram este mesmo triste destino. Eram totalmente saudáveis e logo apos a vacina  passaram a apresentar todos os sintomas carateristicos de autismo e a sofrer fortes dores crônicas, sem conseguir expressar o que sentiam.


Aos pais lhes pareceu que a dor era abdominal, o que os levou a se unirem e procurarem o Dr. Wakefield - na época um dos gastroenterologistas mais respeitados da Inglaterra, que atuava no Royal Hospital – para entenderem a causa da dor dos seus filhos e como tratá-la.


Esta iniciativa foi quase um pedido “privado” de pesquisa. Com a pesquisa, na tentativa de encontrar a causa dos dores, o Dr. Wakefield acabou descobrindo que as crianças apresentavam o chamado “leaky gut” – o que em bom português e' “a sindrome de intestino que vaza”. Quando isto acontece, a parede do intestino e’ totalmente danificada e não mais retém as toxinas, que acabam sendo lançadas na corrente sanguinea e levadas para o cérebro, comprometendo totalmente o seu funcionamento.


Ele então cogitou a hipótese de que este dano tinha sido, na verdade, causado pela vacina MMR. Existe uma relação reconhecida pela medicina convencional de que determinadas doenças intestinais são capazes de gerar nas crianças sintomas similares aos sintomas de autismo, como é o caso, por ex. do PANDAS, leia sobre isso aqui.


Mas o que são sintomas “similares aos de autismo”, senão o próprio autismo? É verdade que nem todas as crianças autistas tenham problemas intestinais, como é o caso do meu filho, mas o autismo é um desconhecido da medicina, e o diagnóstico das crianças dentro do espectro do autismo se baseia tão somente num grupo de sintomas. Nem todas as crianças apresentam exatamente os mesmos sintomas, mas ao apresentar alguns da lista compilada pela biblia das doenças mentais, o DSM IV, a criança é considerada no espectro. E este grupo de sintomas varia muito de criança para criança.


Se o Dr. Wakefield chegou perto de identificar que o problema intestinal das crianças havia sido causado pela vacina, e se este tipo de doença intestinal é capaz de gerar sintomas similares ao de autismo, de certa forma não é dificil usar a lógica e concluir que a MMR causou o o autismo destas crianças.


Obviamente, esta alegação ainda precisava ser provada, mas o Dr. Wakefield não teve tempo para isso. Porque logo depois de publicar as suas descobertas na famosa revista medica Lancet, alegações de fraude e conduta ilicita foram lançadas contra ele fruto de um artigo escrito por um jornalista do jornal Sunday Times e a comoção foi tamanha que o Dr. Wakefield e toda a equipe que o assessorava foi processada pelo General Medical Council da Inglaterra sob alegação de conduta ilícita e fraude.
Alegações inveridicas de fraude – que notoriamente nunca ficaram provadas – levaram o Dr. Wakefield e parte da sua equipe a serem condenados, totalmente desmoralizados e proibidos de exercer a medicina.


O website criado pelos pais das crianças chama-se CRYSHAME (em portugues "Gritando VERGONHA") contém todas as informações sobre o processo. Sabe-se que, embora ele tenha sido condenado por fraude, a fraude alegada pelo jornalista do jornal Sunday Times contra ele nunca foi provada. O processo do GMC que o afastou da prática médica se centrou somente na burocracia requerida para pesquisas, e JAMAIS na matéria discutida, ou seja, se existe ou não relação de causa e efeito entre a MMR e o autismo, porque desde o inicio do processo a pesquisa foi interrompida, e a "NÃO relação" de causalidade NUNCA ficou provada, veja aqui.


A entrevista lúcida e sensata do Dr. Wakefield onde ele explica o que aconteceu e dá a sua versão dos fatos foi filmada e é parte de um projeto na luta pela sua inocência, veja aqui.


Um artigo muito interessante sobre o depoimento dele a respeito do processo, com inumeros comentarios reais feitos por pais de crianças que testemunharam o declinio dos seus filhos apos a MMR, leia aqui.


De qualquer forma, como já falei em post anterior, na teoria do Dr. Tinus Smits não e' a MMR, ou qualquer vacina sozinha, que causa o autismo. A teoria do Dr. Tinus e' a de que o acúmulo de substâncias tóxica - principalmente as vacinas e antibióticos – causa o compromentimento do desenvolvimento mental da criança, causando os sintomas que conhecemos como os de autismo.


Sobre os maleficios das vacinas eu ja falei num post separado, leia clicando aqui.


Se as vacinas causam autismo ou não é algo que não vai ser provado tão cedo, até porque os grandes laboratórios farmaceuticos que assinam contratos milionários com os governos de todos os paises do mundo na venda das vacinas não tem o menor interesse em patrocinar financeiramente este tipo de pesquisa


MAS... se ao desintoxicar as vacinas das crianças - como aconteceu com muitas crianças tratadas com a CEASE therapy, e como está acontecendo nos blogs que eu sigo na minha lista lateral - elas passam a demonstrar toda sorte de progresso e melhoras, algumas com curas de até 100%, eu lhe pergunto: AS VACINAS CAUSARAM OS SINTOMAS DE AUTISMO... OU NÃO?
 
Texto retirado do blog Autismo e Homeopatia

Um comentário :

  1. Meu nome é Lais Seccomandi, sou aluna de medicina e estou estudando um pouco mais sobre o autismo. Achei interessante essa discussão sobre vacina X autismo mas não ficou claro para mim qual a sua posição a respeito, se a favor ou contra. Eu entendo o lado dos pais, é difícil julgar sem ter vivido a situação então não vou entrar na discussão nem tentar convencê-los de que as vacinas fazem mais bem do que mal. Só gostaria de saber mais a respeito, se há estudos sobre as vantagens de não dar as vacinas, ou as desvantagens de dar...
    obrigada desde já pela atenção!
    Um abraço
    Lais

    ResponderExcluir

Todo comentário é bem vindo! minha intenção é passar toda minha experiência e trajetória vividas com nosso filho autista! Qualquer dúvida estamos a disposição para poder ajudar!
Renata e Alexandre